Portos nacionais afundam 11% em Outubro


18 Dezembro, 2018 at 19:03poradminem MARÍTIMOTweet Share Share
Os portos do Continente voltaram a agravar as perdas em Outubro, agora essencialmente por causa dos granéis. No acumulado de 2018 o movimento de mercadorias recuou 4,3%.

Portos nacionais acumulam perdas de 4,3% até Outubro

Entre Janeiro e Outubro, os portos do Continentes movimentaram 77,8 milhões de toneladas, menos 3,9 milhões do que no período homólogo de 2017, divulgou a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

Olhando porto a porto, Aveiro destaca-se, não só por ser dos poucos a crescer (o outro é o da Figueira da Foz), mas também, ou sobretudo, por registar um novo máximo para os dez meses, com 4,59 milhões de toneladas (mais 6% em termos homólogos). Pela Figueira da Foz passaram 1,7 milhões de toneladas (mais 1,4%).

Em Outubro, Aveiro avançou 23,3% e a Figueira 5,4%.

Sem surpresa, Lisboa é, entre os maiores portos, o que mais perde (afundou 31,5% em Outubro), recuando 6,5% para um total acumulado de 9,7 milhões de toneladas. O porto da capital sofre sobretudo com a crise laboral. Segue-se-lhe Sines (cede 5,7% para 40 milhões de toneladas), castigado pela baixa da movimentação de carvão (menos 33,5% em Outubro) e petróleo bruto (menos 55,3%, idem).

No final de Outubro, Leixões acumulava uma perda de 3,2%, cm 15,9 milhões de toneladas movimentadas (sendo que em Outubro caiu 24,9%!) e Setúbal cedia 2,6% para 5,5 milhões de toneladas (1,% de perda só em Outubro).

Refiram-se ainda os casos de Viana do Castelo (caiu 19,2% até Outubro e 45,9% só em Outubro) e de Faro, que retomou a actividade com a mudança de donos da Cimpor e cresceu 73% nos dez meses (perdeu 4,9%) no último.

Greves penalizam contentores

Apesar das greves, o movimento de contentores nos portos nacionais continua a recuperar e no final de Outubro já só sofria uma quebra de 0,4%, com 2,5 milhões de TEU.

Por causa das greves, Lisboa, Setúbal e Figueira da Foz sofreram fortes perdas (12%, 6% e 16%, respectivamente) e Leixões cresceu 3,7%. Sines também subiu – 2,2% – mas ali as variações dependem mais de fora do que das transferências de tráfegos entre portos nacionais.

Feitas em contas, no final de Outubro Sines somava 1,5 milhões de TEU, Leixões 545 mil, Lisboa 368 mil, Setúbal 120 mil e a Figueira da Foz 17 mil.

Em Outubro, Sines cresceu 27,9% e Leixões 20,1%. Lisboa caiu 31%, Setúbal 20,4% e Figueira da Foz 36,4%.

T&N

© APIBARRA 2007 - Todos os direitos reservados   |   Produzido por ETNAGA